Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2007
O ADVENTO DA REPÚBLICA

OS KALIANOS - O KLÃ DO TREVO

   

000dy4yc 000dy4yc 000dy4yc

PARA QUE A MEMÓRIA NÃO SE PERCA

O Advento da República (Reposição)

 

Pois é isso mesmo.

Korleone Kaliano foi apanhado pelo Advento da República.

Com a crise económica que se instalou no reino Kaliano, provocada por ele próprio com a guerra em que se meteu para conquistar Fozigueira, e tendo a primeira dama Cidalina Kapeluda, mais sua filha Andreota Kaliano , que montar um pequeno negócio para ganhar a vida enquanto o mafioso do homem andava de um lado para o outro, de Apéskaleira para Varalhais, daqui para Terradionda, e depois de falhada a  aventura, nem sequer se imagina que tipo de negócio elas inventaram.

Nem mais nem menos uma casita de pelos, unhas e postiços, mais virada para as mulheres do reino.

Nos poucos momentos de que dispunham para estarem juntos, o Kaliano lá lhe ia dizendo para ela deixar aquela vida.

Que diabo, sempre era a primeira dama do reino, mandando em Varalhais e tudo o mais em redor.

Mas ela lá ia argumentando que tinha uma vida pouco motivadora, um bocado pasmacenta, as mais das vezes a ter de aturar os sogros, os já nossos conhecidos Peskaleone e Marcelináia, que além de serem feios até dizer chega, como já sabemos, eram uns chatos de primeira apanha, e com isto foi conseguindo manter o seu entretém.

A Dom Korleone, o Kaliano, passou um dia pelas mãos, e por mero acaso, um livro que falava de história.

Passou-lhe pelas mãos porque ele mal sabia ler.

Escrevia assim assim uns gatafunhos tipo hieróglifos da era moderna, e frequentou nas EscolasdeDonaSantaMafiona um curso intensivo de leitura. Tentou, tentou, e de tanto tentar ler ficou zarolho.

Mas ele acreditou que, zarolho embora, não deixaria de conseguir os seus objectivos, e, para tentar recuperar a confiança do povo, confiança que lentamente se ia perdendo, começou a fazer uns trabalhos numa fábrica de fazer fumo.

Era uma fábrica com umas chaminés muito grandes. E o fumo era tanto que quem lá trabalhasse tinha de fazer uns intervalos prolongados, fosse na cantina ou na biblioteca.

É aqui que lhe cai nas mãos, num desses intervalos, o tal livro de história.

Por esta altura, já Dom Relkocheório, o Coxo, senhor do reino de Trepucilgibski, andava a arregimentar fiéis seguidores para tomar de vez o reino Kaliano, e assim como que à sucapa, tomar o poder a Dom Korleone, o Kaliano Zarolho.

É que este, além de gastar o tempo na fábrica de fazer fumo, ocupava-se nas horas vagas a pedir que lhe lessem e explicasssem o tal livro de história.

O livro chamava-se “O Advento da República” e foi uma espécie de coisa má que lhe aconteceu.

Começou a acreditar que ele próprio era Teófilo Braga ou Manuel de Arriaga, e os males que estavam a acontecer-lhe só poderiam ser provocados por kalianos traidores. Rápidamente percebeu que tinha de inventar um inimigo e ganhar umas maçarocas avultadas de modo a tentar repor alguma espécie de melhor qualidade de vida. Resolveu aconselhar-se com o seu amigo Dom Relkocheório, o Coxo, senhor do reino de Trepucilgigski.

Este, porém, era muito poderoso, tinha tropas importantes, um reino economicamente estabilizado, e não queria estragar a sua afamada reputação de pucilgibskiano.

Vai daí, e porque se partia o coração de Korleone, o Kaliano Zarolho, só de ver como andava Cidalina Kapeluda que, é bom recordar tinha começado a vida a apanhar espinhas de peixe em Acaleirona, antiga capital Apeskáleira, consultou-se com outras proeminentes figuras do reino, principalmente Dona Marileka, marquesa de Painaguião, especialmente conhecida pelos seus dotes de eventual inteligência, e Dona Simplesmente Maria, condessa de Nestprório, e vagamente descendente do reino da Jordânia.

Para o despecharem em alta velocidade, até porque, por esta altura já Dona Marileka andava perdida de amores pelo seu milésimo apaixonado (no caso apenas se conseguiu saber tratar-se de um doutor do reino de que nunca se soube o nome), e Dona Simplesmente Maria resolveu seguir-lhe as pisadas, agarrando-se como uma lapa a uma espécie de Onássis do reino que fizera fortuna com negócios de transporte de coisas e pessoas, disseram-lhe que fizesse o que entendesse.

E ele…fez.

De uma assentada declara implantada a República de Varalhais e convoca eleições, convencido da sua indestrutível posição junto do povo.

Já se percebeu que foi um golpe falhado.

Na hora de votar, e com todo o caciquismo que entretanto Relkocheório fora fazendo, o povo kaliano escolheu este último.

Foi a débacle total.

Korleone entupiu por uns tempos, dedicando-se apenas ao seu empregozito da fábrica de fazer fumo, e tendo de engolir a pastilha de continuar a ver Cidalina Kapeluda dedicada ao negócio dos pelos, unhas e postiços, no que era acompanhada pela filha Andreota Kaliano.

Ainda assim, e com o pouco tempo que lhe sobrava, conseguiu O Zarolho que a Kapeluda de novo engravidasse, o que veio trazer um problema acrescido a todos os que já o atormentavam.

Abandonaram o palácio de Varalhais, e todas as restantes residências que haviam tido, passando a residir por uns tempos em Acaleirona, na casa que fora de Cidalina Kapeluda, enquanto mandavam construir uma “pequena” residência em Amarinhada, capital de Terradionda.

Foi por isto que Korleone decidiu dedicar-se mesmo à sua principal vocação. Fazer, manter, aumentar, uma rede de conspirações mafiosas, coisa em que rapidamente se tornou mestre.

E foi também por causa disto que o já nosso conhecido Giuseppe Petrovich acabou por se ver envolvido nas tramas do dito e cujo.

De Korahmud Saleh, e de outros mafiosos kalianos que por aí andam, falaremos lá mais para a frente.

 

HPeter, Fábulas.

 



publicado por HPeter hdp às 00:03
link do post | favorito
|

.Outros BLOGS: (Ver LINKS abaixo): ABORDAGENS; CONCRETO E IMAGINÁRIO; TODOS AO BANHO; A MURALHA;
.posts recentes

. AS MANAS

. INTERVALO - OS KALIANOS

. O CURSO DAS MANAS

. OS COGNOMES DAS MANAS II

. OS COGNOMES DAS MANAS I

. AS MANAS

. VEM AÍ NOVA HISTÓRIA

. KALIANOS - EPÍLOGO. MAS V...

. A FESTANÇA

. A BATALHA NAVAL À MODA KA...

.arquivos

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.pesquisar
 
.links
blogs SAPO
.subscrever feeds